WS Ballers – Análise de Performance Individual de Jude Bellingham

WS Ballers – Análise de Performance Individual de Jude Bellingham

Autor: João Carvalho

Jude Bellingham

29-06-2003

17 anos

INGLESA

Borussia Dortmund

Médio Centro

Direito

22 (vinte-e-dois)

1,86 m

81 kg

35M € *

30/06/2023 *

Polivalência – Disponibilidade física – Inteligência

* Informações retiradas do Transfermarkt.

Formado nos ingleses do Birmingham City FC, chegou à equipa principal aos 16 anos somando  mais de 40 jogos na sua primeira época. O talento não passou despercebido aos alemães do Borussia Dortmund, que o foram buscar para reforçar a equipa principal.

Tem sido peça importante, contando com mais de 2400 minutos em todas as competições em que o clube está inserido,  somando 4 golos à sua conta pessoal. Ao longo da sua curta carreira, Jude tem sido regularmente chamado às seleções do seu país, Inglaterra, incluindo à principal onde figurou duas vezes, sendo uma delas para a qualificação para o Mundial de 2022.

Jude Bellingham é um médio centro muito completo, apesar da tenra idade, que sabe defender e atacar. O raio de ação que abrange dentro de campo leva a apelidá-lo de “box-to-box”, pela facilidade como apoia o ataque junto à última linha defensiva do adversário e na jogada seguinte está a condicionar a exploração do espaço central-lateral por parte do adversário, na sua linha defensiva.

Tem uma boa relação com bola, pensa e executa rápido, o que lhe permite garantir a fluidez e a intensidade do jogo ofensivo da sua equipa quando a bola lhe passa nos pés. É bastante competente nas transições e sabe ler os momentos de jogo de modo a saber quando sair para apoiar o ataque ou garantir o posicionamento no miolo para equilibrar a equipa.

Momento DEFENSIVO

Técnica defensiva: é um jogador forte no desarme, que consegue recuperar bolas em todos os espaços, conseguindo desarmes e interceções em posições mais adiantadas que resultam em situações vantajosas para a equipa.

É combativo em todos os momentos, inclusive nos duelos 1×1, nunca se esconde do confronto, e a sua capacidade física torna-o um jogador difícil de lidar, pois consegue pressionar e dificultar bastante as ações do adversário. Tem alguma capacidade nos duelos aéreos, mas poderia tirar mais partido da sua estatura física e tornar-se mais coeso nesse tipo de ações.

Tática defensiva: tem um conhecimento tático e de interpretação dos momentos do jogo bastante acima da média para a idade que tem, apesar de  ainda cometer alguns erros. A sua polivalência e versatilidade, permite-lhe dar equilíbrio posicional à equipa e manter o bloco coeso em momentos de organização defensiva.

Sendo o seu raio de ação bastante alargado, tem a capacidade de defender no corredor lateral e fazer a dobra ao seu lateral, percebendo bem as necessidades da equipa, assim como para fazer a dobra ao central quando este sai para fazer a cobertura ao lateral, garantindo momentaneamente uma linha de quatro. A sua disponibilidade física torna-o bastante competente nas transições, condicionando muitas vezes a saída rápida da equipa adversária.

Na imagem acima é possível ver que o Bellingham fez a compensação ao central que saiu ao corredor lateral, e manteve assim a linha de 4 a defender. O jogador adversário em posse de bola no corredor lateral, fez com que o central diminuísse o espaço entre ele e o seu lateral e por consequente abriu espaço entre os dois centrais.

O Bellingham interpretou bem esse momento e fechou entre os dois centrais de modo a garantir estabilidade na última linha defensiva (linha de 4). No seguimento da jogada, o adversário conseguiu explorar o espaço interior.

Pressão: tem muita disponibilidade física para sair na pressão ao adversário, inclusive em terrenos mais avançados. Em muitas dessas ações consegue condicionar a saída de bola do adversário, mas quando essa pressão não é eficiente, cria um fosso muito grande entre a linha adversária e a linha média, deixando a equipa mais exposta aos ataques adversários.

Momento OFENSIVO

Técnica ofensiva: tem uma boa relação com bola, suficiente para ter à vontade em todos os momentos em posse, tanto no apoio à construção, como em zonas mais adiantadas. É um jogador que pensa e executa rápido, conseguindo dar seguimento ao jogo sem quebrar o ritmo e saindo bem do drible curto sob pressão adversária.

É seguro no passe, apesar de não arriscar muito no passe longo, fá-lo maioritariamente no pé do colega, o que lhe dá a segurança para ter uma boa saída de bola tranquila ainda na fase de construção, fazendo a ligação entre o meio campo defensivo e ofensivo já na fase de criação.

Aqui é um exemplo de um desses momentos de ligação entre a defesa e o ataque, após um desarme do central, entregou no Bellingham que rapidamente deu verticalidade à equipa com o passe frontal e projetou novamente a equipa para o ataque.

Tática ofensiva: é um jogador polivalente e versátil também nesta componente do jogo. Apresenta um extenso leque de recursos, conseguindo incorporar e realizar várias dinâmicas dentro da componente ofensiva da equipa. Consegue ser o médio que faz a ligação entre a defesa e o ataque em jogo apoiado, como também deixar a construção para outros colegas e encostar na última linha defensiva do adversária.

A partir daí pode realizar movimentações entrelinhas, oferecendo linha de passe, ou  pedindo a bola nas costas da defesa com movimentos de ataque à profundidade, tendo assim mais atividade na zona de finalização. A sua capacidade de chegada à área permite que consiga finalizar algumas das jogadas da equipa.

Capacidade de leitura ao virar o centro de jogo para uma zona com menos afluência de jogadores da equipa adversária.

Nesta imagem, é possível ver que deixou a organização do jogo para outros jogadores, posicionando-se atrás da linha média adversária e encostou na última linha do oponente. Assim consegue dar opção de passe entrelinhas e fora do bloco adversário, ou então explorar a profundidade. Com este posicionamento criou três (+1) situações de 1×1 na defesa adversária, o que retira a possibilidade de cobertura a qualquer um desses homens e obriga a que os médios adversários sejam bastante rápidos a reagir em apoio à defesa.

Transições defesa/ataque: tem muitas ações de transição durante o jogo, o que também favorece e potencia a sua polivalência em campo. De uma ação defensiva consegue no momento seguinte estar a dar apoio à equipa numa saída rápida e finalizar esses lances em apoio ao avançado.

  • Conhecimento tático e posicional;
  • Polivalência;
  • Disponibilidade física.
  • Duelos aéreos defensivos;
  • Passe longo.

Consideração final: é claramente um jogador acima da média para alguém com apenas 17 anos de idade. Se continuar a apresentar um crescimento sustentado e saudável vai ser um jogador preparado para o topo do futebol mundial, avaliando pela inteligência e conhecimento técnico/tático, que já possui, do jogo.

Artigos relacionados